Mão na massa

Cursos de culinária com temas variados, consultorias para bares e indústrias alimentícias e confrarias são oferecidos por escola fundada há nove anos na capital

Sheilla Furman e Carol Haddad são sócias-proprietárias da Basílico Gastronomia ao Ponto, fundada há cerca de nove anos. A escola oferece aulas de culinária com temas variados, que vão do básico arroz com feijão ao contemporâneo, em períodos curtos de um a três dias de curso. “Uma opção muito procurada é a de confraria, na qual um grupo reserva uma data, podendo escolher o menu especial”, esclarece Sheilla. O Basílico promove também aulas para crianças, que, além de aproximá-las dos alimentos saudáveis, as divertem. “Os alunos mirins colocam efetivamente a mão na massa, brincam e se deliciam com as próprias comidas.”

As aulas para adultos, crianças e confrarias são realizadas em espaços parceiros, como o Vila do Chef, no Bairro Palmeiras; o espaço Avec, no Santa Lúcia; a Cozinha Vitrine, na Savassi; em casas de alunos e espaços gourmet de condomínios, ou onde mais o aluno preferir. Também realizamos eventos personalizados, como almoços, jantares, coquetéis e miniweddings, sempre moldados ao gosto de cada cliente. Oferecemos, ainda, menus especiais para aqueles que têm alguma alergia ou restrição alimentar”, explica Sheilla.

Ela conta que a outra vertente da escola é a prestação de consultorias para bares, restaurantes, indústrias alimentícias e outros negócios gastronômicos, atuando desde a concepção do cardápio até o treinamento da equipe. “As aulas mais procuradas são as de culinária para iniciantes, burguers especiais, comida mexicana, churrascos e molhos, além das confrarias de amigos”, ressalta Sheilla, que está no ramo há 10 anos.

“Sou formada em comunicação social pela PUC/Minas, mas no fim do curso comecei a aumentar meu interesse em cozinhar para amigos. Por ser um tanto perfeccionista, acreditava que o curso de gastronomia poderia me ajudar na tarefa. Assim, logo me aventurei na gastronomia, imaginando um modo de associar as duas áreas. A gastronomia falou mais alto. Fiz pós-graduação em gastronomia e saúde e lá conheci minha sócia, Carol Haddad, cuja paixão por lecionar despertou a minha. Assim, surgiu a ideia de abrir, em 2008, a escola Basílico. Ela não tem ponto físico, mas espaços parceiros nos quais ministramos nossas aulas e produzimos eventos”, esclarece a empresária.

“Trabalhamos com free-lancers e parceiros de confiança, cuidadosamente selecionados e treinados de acordo com a dimensão do evento. Nosso diferencial é a personalização. Em nossas confrarias, buscamos ensinar o que realmente o nosso aluno gosta e que vai encantá-lo. Outra marca do Basílico é a ‘mão na massa’. Em cursos básicos, abrimos espaço para que o aluno pratique em aula e fixe o aprendizado. Além disso, estamos sempre pesquisando e viajando para trazer ao aluno o que tem de mais moderno em gastronomia”, salienta Sheilla.

CRIATIVIDADE

Ela conta que o mercado mudou bastante nos últimos anos com o aumento do interesse do público pela gastronomia, por realitys e programas com o tema. “Junto a esse interesse surgiram muitas escolas de formação profissional e também para aqueles que querem aprender por hobby. A concorrência, sem dúvida, deu um salto, mas nada que impeça que o bom trabalho se destaque. Acredito que quem busca espaço no mercado deve se especializar para se destacar. Os clientes estão mais informados sobre gastronomia e exigentes, de modo que uma aula não masterizada não será bem aceita.”

“Nossa intenção é ampliar o negócio até o ponto máximo para que continuemos tendo total controle de tudo que realizamos e produzimos, sem terceirizar nada. Toda aula, evento e produto deve sair de nossas mãos, mantendo sempre a cara do Basílico. Essa é nossa premissa. Trabalhar com escola nos permite desenvolver e mostrar nossa criatividade. Nas aulas, estamos sempre em contato com o público e isso faz aumentar nosso número de clientes e também o de eventos e consultorias. Porém, a vantagem maior dessa atividade é poder trabalhar com comida, o que amamos, sem ter uma rotina repetitiva de restaurante”, ressalta a empresária.

“A grande dificuldade que o ramo apresenta é o fato oferecermos um serviço não essencial (apesar de muitos o considerarem como uma terapia). Em tempos de crise, buscamos oferecer opções de cursos com ingredientes de época, por exemplo, para que o aluno possa manter sua frequência. Outra dificuldade que enfrentamos como empresa registrada e legalizada é o grande número de taxas e impostos cobrados”, lamenta Sheilla. Nosso forte é o cliente que ama comida, seja aquele que quer realmente replicar o que é dado em aula ou aquele que quer apenas a experiência de comer bem. Variando a idade e a condição econômica, o que se repete entre nossos alunos/clientes é que ele acredita que gastronomia é sempre a melhor experiência e merece investimento.

SERVIÇO

Basílico Gastronomia ao Ponto

(31) 98484-4981 – 99105-8166